Cansaço e sono na gravidez

 

Por que estou tão cansada, agora que fiquei grávida?
A gravidez sobrecarrega todo o seu corpo, daí o cansaço. O sintoma de que as mulheres mais se lembram do começo da gravidez é a constante sensação de exaustão.

Até quem costuma ficar acordada até tarde de repente se vê tendo de fazer força para manter os olhos abertos diante do programa preferido na TV, à noite, ou mesmo no cinema.

Ao longo de toda a gestação, mas principalmente no primeiro trimestre, seu corpo está trabalhando duro. Você está fabricando a importantíssima placenta, o sistema que sustentará o seu filho. Esse processo só será concluído no final do primeiro trimestre.

Seus níveis hormonais e seu metabolismo estão mudando rápido, e ao mesmo tempo as taxas de açúcar no sangue e a pressão tendem a cair. Tudo isso contribui para a sensação de cansaço.

Quanto tempo o cansaço e o sono vão durar?
Cada pessoa é diferente, mas nas grávidas o cansaço costuma ser maior no primeiro trimestre e no começo do segundo trimestre.

O bom é que lá pela metade do segundo trimestre você deve sentir uma sensação de energia, suficiente para durar até o terceiro trimestre. É o momento ideal para aproveitar a gravidez e tomar conta de todos os preparativos para a chegada do bebê.

Lá por volta da 28a semana seu nível de energia deve começar a cair novamente.

Em algum caso o cansaço pode ser sinal de outra coisa?
Em algumas situações, o sono, o cansaço e a falta completa de motivação podem ser sinal de uma depressão. Principalmente se você estiver também com muitos sentimentos negativos. Nesse caso, converse com o médico.

A sensação de exaustão e fadiga pode ser um sintoma também de anemia, um problema que é bastante comum na gravidez.

A anemia pode ser detectada por um simples exame de sangue, e tratada com uma boa alimentação e com suplementação de ferro.

O que posso fazer para combater o cansaço?

Ouça o que seu corpo está pedindo
Tente tirar sonecas sempre que puder, e faça de tudo para ir para a cama cedo. Não estranhe se começar a recusar convites para sair.

No trabalho, fechar os olhos por alguns minutos já faz diferença — se você tiver a sorte de ter algum lugar onde possa descansar um pouco, aproveite.

Algumas grávidas apelam até para um descanso rápido em uma sala vazia, ou para um descanso instantâneo de cinco minutos no banheiro mesmo.

Tente adaptar seu cotidiano
Veja se existe a possibilidade de mudar seu horário para escapar do trânsito mais pesado ou do calor. Se já tem filhos, aceite ajuda de outras pessoas para tomar conta deles, para que você possa descansar um pouco e dormir.

Tome cuidado com a alimentação
Você vai precisar de cerca de 300 calorias extras por dia — e não estamos falando de chocolate. Uma dieta saudável, composta de legumes, verduras, frutas, leite desnatado e carnes magras vai lhe dar a energia de que você tanto precisa.

Comidas gordurosas, doces ou farinhentas demais, por outro lado, acabam sabotando sua disposição.

Aguente firme e tenha paciência
Logo você estará no segundo trimestre e voltará a ter energia. A maioria das mulheres acha o período entre o quarto e o sétimo mês o melhor de toda a gravidez, pois estão se sentindo ótimas. Não se esqueça de que fabricar um bebê é um trabalho e tanto, portanto, se achar que precisa dormir, faça de tudo para arranjar tempo e fechar os olhos, nem que só por alguns minutos.

Fonte: https://brasil.babycenter.com/a1500477/cansa%C3%A7o-e-sono-na-gravidez

Anúncios

Os cuidados necessários no primeiro trimestre de gravidez

A barriguinha ainda não dá sinais, mas os três meses iniciais são os mais críticos para a formação do bebê. Saiba o que fazer neste período.

Muitas mulheres nem desconfiam ainda da gravidez e uma verdadeira revolução já está se armando dentro delas. A produção de alguns hormônios cai, outros, específicos da gestação, passam a ser fabricados, a placenta começa a se formar e, rapidamente, o bebê desenvolve os principais órgãos. Até o final dos três primeiros meses, ele já vai estar até fazendo biquinho e mexendo pés e mãos. Tudo acontece num piscar de olhos!

E é preciso estar atenta, pois essa também é a fase mais crítica para abortos e malformações decorrentes de doenças e deficiências nutricionais maternas. Então, não descuide: se você está tentando engravidar ou desconfia que o sonhado filhote já pode estar a caminho, confira os exames que deve fazer, entre numa dieta adequada e adote hábitos mais saudáveis. Afinal, esta é a hora de garantir um final feliz para sua gravidez.

Onde mora o perigo

“Em uma situação ideal, os cuidados deveriam começar antes mesmo da decisão de engravidar”, afirma Victor Bunduki, especialista em medicina fetal, professor da Faculdade de Medicina da USP e professor assistente da Universidade René Descartes, de Paris, França. Na fase pré-concepcional, o obstetra pode analisar os antecedentes obstétricos e genéticos do casal, levantando casos de abortos recorrentes e de problemas de fundo genético, como a síndrome de Down. “A suplementação com ácido fólico é outro cuidado que, quanto antes for iniciado, melhor. A carência desse nutriente está diretamente relacionada à maior incidência de problemas neurológicos graves, como a ocorrência de DFTNs (defeitos no fechamento do tubo neural do bebê), que pode resultar em anencefalia”, alerta Bunduki.

Também é hora de imunizar a mãe contra doenças que possam comprometer a formação do feto, como a rubéola e a hepatite B. É o momento ainda de as hipertensas equilibrarem a pressão arterial, de as diabéticas controlarem o nível glicêmico e de as mulheres com tendência a engordar ou que começam a gestação mais pesadas iniciarem uma dieta para manter o peso em limites aceitáveis sem comprometer o desenvolvimento do bebê.

Muitas vezes, porém, a gravidez acontece sem planejamento. E aí, o jeito é dar a partida no pré-natal assim que o resultado positivo se confirme. “É melhor não perder tempo, já que o primeiro trimestre é a base do bom desenvolvimento fetal. Nesse momento, muitos problemas que resultariam em abortos e malformações podem ser corrigidos”, aconselha a obstetra Rosa Maria Ruocco, médica assistente da divisão de clínica obstétrica do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Afastando o risco de abortos

É preciso lembrar que o embrião possui metade da carga genética do pai e que essa bagagem é “estranha” ao organismo materno. Em circunstâncias normais, o bebê dribla o sistema imunológico da mãe e consegue chegar ao útero, dando início ao seu desenvolvimento e à formação da placenta, que vai nutri-lo e protegê-lo até o final da gestação. Há casos, porém, em que esse script fica incompleto. Um dos riscos é de que o sistema imunológico da mãe rejeite o embrião por considerá-lo um corpo estranho, provocando um aborto precoce.

Quem já teve abortos espontâneos antes deve ficar esperta: “Alguns problemas exigem medicação especial logo após a concepção, outros podem ser revertidos com o uso de anticoagulantes, corticosteróides ou progesterona, desde que sejam identificados cedo”, avisa Rosa Ruocco. Não há tempo a perder também quando a causa dos abortos naturais é uma circunstância conhecida como incompetência istmo-cervical. Trata-se de uma dilatação excessiva do colo de útero, a qual pode ser corrigida por meio de uma cirurgia simples, a cerclagem, antes que o bebê comece a ganhar peso – novamente, agir logo no início da gravidez aumenta as chances de sucesso.

Grávidas muito especiais

Os primeiros meses de gestação são particularmente críticos também para as mulheres com distúrbios que alterem a circulação ou sejam de fundo auto-imune. “Diabéticas, hipertensas, portadoras de problemas de tireóide ou de hipófise exigem cuidados redobrados ao longo de toda a gravidez, mas, no primeiro trimestre, eles são ainda mais indispensáveis”, alerta o ginecologista João Bortoletti, especialista em medicina fetal do departamento de obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo. Essas disfunções comprometem a liberação de hormônios essenciais para o bom crescimento das células, prejudicando o desenvolvimento do bebê.

“Outra complicação especialmente grave no primeiro trimestre são doenças como toxoplasmose, rubéola e citomegalovirose, que também prejudicam a formação da placenta e do bebê”, diz Rosa Ruocco. Seja qual for o caso, a medicina fetal hoje possui recursos para identificar e tratar precocemente muitos desses problemas. Dois exames são superimportantes para as mulheres que estejam em um desses grupos de risco ou tenham mais de 35 anos: o ultra-som morfológico e a translucência nucal. O primeiro permite detectar qualquer alteração estrutural do feto, como ausência de órgãos e membros, enquanto a translucência pode identificar com pequena margem de erro problemas genéticos, como a síndrome de Down.

“Alterações no tamanho da nuca do bebê e ausência ou diminuição do osso nasal no feto são sinais de alerta importantes. Mas precisam ser identificados na hora certa. Por isso, o primeiro trimestre da gestação é um período precioso para garantir as melhores condições de desenvolvimento para o bebê”, afirma Victor Bunduki.

Mudanças de hábito

Se você está grávida ou planeja ter um bebê em breve, é hora de tomar alguns cuidados extras, em prática aquele velho plano de cultivar hábitos mais saudáveis de vida. Quem dá as dicas são os obstetras Rosa Maria Ruocco e Victor Bunduki.

Suspenda o uso de analgésicos e antitérmicos. Só use remédios recomendados pelo obstetra.
Diante do menor atraso menstrual, asmáticas, diabéticas, hipertensas e portadoras de problemas vasculares precisam substituir ou regular as doses dos medicamentos que usam no controle dessas doenças.
Cremes dermatológicos que contenham ácido retinóico na fórmula não podem ser empregados, pois causam malformações. Evite também a exposição desnecessária a raio X.
Fumantes precisam abandonar o vício ou, pelo menos, reduzir o consumo para até quatro cigarros diários. Bebidas alcoólicas e outras drogas devem ser igualmente descartadas. O alerta vale também para o futuro papai.
Elimine ou diminua significativamente o consumo de cafeína, presente no café, chá preto, refrigerantes à base de cola e chocolates.
Se você é adepta de atividades físicas de alto impacto, converse com o obstetra sobre a conveniência de diminuir o ritmo nesse primeiro trimestre.
Previna-se contra a toxoplasmose. Não coma carnes cruas ou malpassadas e lave muito bem frutas e verduras. Use luvas sempre que manusear carnes cruas ou mexer na terra. Se tem gato, peça a outra pessoa para limpar a caixinha de areia do bichano.

Alimente sua gravidez

Certas carências nutricionais da mãe podem comprometer o desenvolvimento do bebê. Precisa estar particularmente atenta desnutrição subclínica. Mesmo sem nenhum sintoma aparente, as mulheres portadoras dessa condição apresentam déficit de nutrientes e, por isso, o organismo delas não consegue suprir as necessidades do feto. Além da indispensável suplementação de ácido fólico no primeiro trimestre, a nutricionista Tânia Rodrigues, diretora técnica da RG Nutri Consultoria Nutricional, faz uma lista do que não pode faltar de jeito nenhum numa gestação saudável.

Ácido fólico

Evita a ocorrência de DFTN (defeito no fechamento do tubo neural do bebê), que pode resultar em problemas graves, como a anencefalia e espinha bífida.
Onde encontrar: espinafre, feijão-branco,brócolis, laranja,repolho branco, fígado bovino,abacate, grão-de-bico, lentilha, escarola, pão de centeio.

Vitaminas do complexo B

Equilibram a energia da mãe e são indispensáveis ao desenvolvimento neurológico e cerebral do bebê.
Onde encontrar: fígado e carne bovina, peixe, ovos, leite e cereais integrais. Equilibram a energia da mãe e são indispensáveis ao desenvolvimento neurológico e cerebral do bebê.

Vitamina B6

Previne contra as náuseas e enjôos, comuns no primeiro trimestre de gravidez, e contra a depressão.
Onde encontrar: fígado e carne bovina, cereais integrais e banana. Leite e derivados. Previne contra as náuseas e enjôos, comuns no primeiro trimestre de gravidez, e contra a depressão.

Cálcio

Regula os hormônios do bebê e garante a boa formação óssea. É chave para a composição do sangue. Sua carência leva à anemia e predispõe à geração de bebês de baixo peso e à ocorrência de hemorragias e infecções no parto.
Onde encontrar: carnes e grãos em geral, vegetais verde-escuros.

Ferro e zinco

Garante o crescimento normal do feto e é importante na formação das células. No primeiro trimestre de gestação previne o cretinismo, que causa retardo mental no bebê. Mas deve ser consumido com moderação.
Onde encontrar: fígado, carnes e leite.

Iodo

O excesso de iodo agrava inchaços e faz subir a pressão arterial.
Onde encontrar: sal iodado, frutos do mar e peixes de água salgada.

Fibras

Ativam o funcionamento intestinal da mãe, que estará prejudicado por causa dos hormônios da gravidez.
Onde encontrar: verduras, legumes, frutas e cereais integrais, como aveia, trigo, milho e arroz.

 

Fonte: https://bebe.abril.com.br/gravidez/os-cuidados-necessarios-no-primeiro-trimestre-de-gravidez/

Regatas de Amamentação – tudo o que uma mãe precisa!

As mamães já sabem e as de primeira viagem ainda vão descobrir o quanto é difícil encontrar roupas para amamentação.

Não tendo muita escolha, nós acabamos dando um jeitinho com as nossas mesmo, levantando a blusa para amamentar. E nessa hora vem o constrangimento de mostrar a barriguinha que ainda está voltando ao normal. Uma opção é recorrer as camisas, mas muitas vezes o botão insiste em abrir…Então, surgiram as Regatas de Amamentação!

  Me lembro que na minha época de amamentar os meus filhos, não haviam opções bacanas e bonitas…ou se existiam, provavelmente eram caríssimas!! O que fazíamos era dar um jeito com qualquer regata mesmo,por baixo da blusa e na hora de amamentar, eu tinha que puxar a regata para baixo, alargando toda, afinal, ela não foi feita para isso!! rsrsrsr….

Mas agora, com as Regatas de Amamentação que temos disponível na Cabidinho Store esses problemas estão resolvidos!

As Regatas de Amamentação podem ser usadas por baixo de blusas, como uma segunda pele resolvendo o problema da barriguinha. Mas sua praticidade não para por aí: por não precisar usar sutiã de amamentação com ela, é uma ótima opção para dormir. Uma peça tão linda como essa não pode ficar só escondida debaixo de blusas ou em casa: ela é para sair também! As Regatas de Amamentação e um jeans já são suficientes para montar um look moderno, lindo e confortável! Quer incrementar o visual? Coloque um blaser, um colete ou uma jaqueta por cima e dê um show de estilo com o baby!

Nossas Regatas de Amamentação são próprias para isso! Temos dois modelos: a Regata de Amamentação Tule Poá, que possui decote trespassado, ou seja, a mamãe pode puxar para amamentar que ela já tem um decote especialmente desenvolvido para isso, sem alargar ou esticar demais a regata. E o outro modelo, é a Regata de Amamentação Renda, que possui o fecho como nos soutiens de amamentação, basta abrir, amamentar e depois fechar de novo. São lindas e muito, muito práticas!!

Esse é o link aonde você vai encontrar os modelos das Regatas de Amamentação que estão disponíveis na Cabidinho. Lá também tem a tabela de tamanhos e como fazer para medir e não errar no tamanho. É só clicar: https://www.cabidinho.com.br/regatas-amamentacao/

E você já sabe, qualquer dúvida basta entrar em contato pelo email: contato@cabidinho.com.br,  que teremos o maior prazer em te atender!

 

10 dicas de como o futuro papai pode colaborar durante a gestação

É super normal que no começo da gestação os futuros papais se sintam deslocados e meio à parte em tudo o que começa a envolver essa gestação. Seja nas conversas entre sua esposa e as amigas, seja nos termos médicos usados, nas tantas mudanças que vão começara acontecer, enfim, são muitos hormônios trabalhando enlouquecidamente!! Claro que cabe a futura mamãe trazer o pai para perto dela e do bebê sempre! Incluí-lo em todas as fases e estimulá-lo a participar de todos os momentos.

 

pai e filho

1. Seja paciente

Sua parceira está vivendo um período muito louco, alternando sentimentos de alegria e preocupação o tempo todo. Além disso, os hormônios da gravidez provocam mudanças de humor repentinas.

Diante de tanta variação, se ela sair da gargalhada para o choro em questão de minutos, tente ser paciente e lembrar que isso não dura para sempre.

2. Seja carinhoso

À medida que o corpo de sua parceira muda e os sintomas da gravidez se intensificam, é possível que ela se ache menos atraente. Cabe a você ajudá-la a se sentir tão amada e desejada quanto antes. Faça elogios, carinhoso, faça passeio à dois sempre que possível.  É muito gostoso curtir a gestação com o companheiro sendo COMPANHEIRO.

3. Seja interessado

Mostre interesse genuíno e vá às consultas e ultrassons do pré natal sempre que puder. Quanto mais você demonstrar que estão juntos nesta fase, mais tranquila ela vai se sentir. Esse acompanhamento próximo da gestação também ajuda você a criar elos com o bebê.

4. Abandone os maus hábitos

Para que o bebê seja saudável, é recomendável que sua mulher tenha hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada, por exemplo. Se você fuma, esse é o melhor momento para abandonar o vício. Que tal uma caminhada pela manhã ou no final da tarde juntos? Além de um bom exercício físico (se liberado pelo médico), é mais um momento para o casal curtir juntos. Tudo ficará muito mais fácil para ela se você também embarcar nesse mesmo estilo de vida.

5. Colabore para que ela descanse

Nos primeiros meses de gravidez, sua parceira provavelmente vai se sentir cansada e sonolenta. Deixe-a dormir bastante sempre que possível. É normal, são os hormônios. Não é preguiça e muito menos corpo mole.

6. Seja um parceiro contra o enjoo

Novamente, são os hormônios trabalhando enlouquecidamente. Se você puder, prepare algo leve para que ela possa comer aos poucos e durante o dia. Se você estiver inspirado, faça um chá de menta com gengibre para que ela tome ao longo do dia. Ou prontifique-se para ir ao supermercado/sacolão comprar qualquer coisa que ela ache que vá diminuir a náusea.

7. Informe-se e converse

Esse não é o estilo masculino, mas se de vez em quando procure seus amigos para desabafar (principalmente os que já são pais). Veja como suas dúvidas e experiências são super comuns e muitos já passaram por isso. Leia, procure se informar sobre tudo o que e envolve esse momento.  Vale também conversar com o médico ginecologista/obstetra que a acompanha.

8. Pense em nomes para o bebê

Esse momento é uma delícia! Faça uma lista dos seus preferidos e ao longo da gestação, vá debatendo sobre eles com sua companheira…é divertido até!!

9. Participe das compras

A decoração do quartinho e a escolha do enxoval do bebê são tema de enorme interesse para a sua mulher, mesmo que pareçam menos importantes para você.

Envolva-se e procure curtir também essa temporada de compras. Aproveite a chance para vocês saírem e começarem a construir o mundo do bebê juntos. Você pode até se voluntariar para pesquisar por conta própria as alternativas (que são muitas) de tudo o que envolve esse novo mundo ( carrinhos de bebê, bebê conforto, banheira, etc…).

10. Organize as finanças e a rotina

Ter um filho é caro. Use o tempo antes de ele nascer para programar melhor, junto com sua mulher, o orçamento da casa e fazer ajustes no que for necessário. É bom já pensar também no futuro e em como poupar para que, um dia, vocês possam oferecer tudo o que sonham a seu filho.
Saber que as finanças da família estão sob controle trará bem mais segurança à sua parceira, algo super importante nesta fase.

Ajude-a a pensar em como será a rotina depois que o bebê nascer. Tem alguém para ajudar? Quantas vezes por semana essa pessoa virá na sua casa? E as refeições, quem pode preparar? Melhor fazer uma grande compra e estocar o que puder? Vale a pena chamar a mãe/sogra para passar uns dias com vocês? Terão babá? Pensando em tudo isso com antecedência, a ansiedade diminui.

 

E lembre-se que na nossa loja, temos MUITOS itens imprescindíveis para o enxoval do bebê! Desde saídas de maternidade, toalhas, mantas, bodies e culotes, enfim, há uma infinidade de peças que vocês poderão escolher para o bebê e melhor, no conforto de sua casa!! Nosso site é 100% seguro e entregamos para todo o Brasil! Acesse agora mesmo: www.cabidinho.com.br

10 dicas de como lavar as roupas do bebê

Me lembro que quando estava no sétimo mês de gestação do Pedro, resolvi que já era hora de começar a lavar as roupinhas dele…mas é CLARO que surgiram mil dúvidas: como lavar? tem que ser na mão?? posso por na máquina? já lavo todas de uma vez? e o sabão? é o mesmo que já uso? Enfim, com certeza esse é um assunto que TODA mamãe de primeira viagem tem interesse, então vamos às dicas:

1 – Lave as roupas do seu bebê por volta do 7º/ 8º mês de gestação. Se você lavar muito antes, elas vão ficar guardadas e podem empoeirar e se você deixar para os 45 do segundo tempo, pode ser que seu bebê use roupinhas sem lavar, o que não é recomendável…rs

2 – As roupinhas podem sim ser lavadas na máquina, basta você usar o ciclo correto (para roupas delicadas/roupas de bebê). Se sua máquina não tiver essas opções, use um ciclo curto, afinal, as roupinhas não estão sujas, é só para tirar o pó e deixar com um cheirinho delícia…A lavagem na máquina é mais eficiente, além disso as roupas são melhor enxaguadas, evitando que sobrem resíduos de sabão. Além da praticidade, não é mamães? Você pode ainda optar por lavar as roupas do bebê dentro de fronhas ou sacos que são feitos especialmente para esse fim.

3 – Use sabão neutro ou de coco, de preferência líquido e que não tenha um cheiro muito forte (testado dermatologicamente). Lembre-se que a pele do bebê é muito delicada, então quanto mais neutro e delicado forem o sabão e o amaciante, melhor! A lavagem na máquina é muito mais eficiente e as roupas são melhor enxaguadas, não restando resíduo de sabão.

4 – Lave as roupinhas do baby separado. Não misture com as suas nem com as de ninguém, pelo menos nos primeiros meses.

5 – Faça como você já costuma fazer com as suas roupas: separe por cores, as claras das escuras, enfim, isso não muda…rs

6 – É interessante higienizar a máquina antes da primeira vez que você for lavar as roupinhas dos bebês. Como fazer isso? Coloque 1/2 litro (500ml) de alvejante (água sanitária) diretamente no cesto. Selecione no painel o programa de lavagem rápido, com o nível de água alto. Deixe a lavadora realizar o programa completo. Não utilize programas de menor duração durante a lavagem, para garantir que todo o alvejante seja removido da lavadora.

7 – Pode ser que você precise lavar algumas roupinhas mais delicadas na mão. Certifique-se de retirar todo o sabão.

8 – Passe as roupas do bebê com ferro quente (ajuda na higienização das roupas), mas fique sempre atenda nas etiquetas sobre as instruções de como lavar e passar.

9 – Se você já estiver no fim da gestação, pode guardar as roupinhas no armário, ou nas gavetas do bebê mesmo, não é necessária nenhuma proteção extra.

10 – Não é necessário lavar tudo de uma só vez. Comece pelas roupas de tamanho RN e P e vá assim por diante. Tente fazer todo esse processo lá pelo sétimo ou oitavo mês mesmo, aí você pode curtir o finalzinho da sua gestação sem se preocupar com isso!

A mala do bebê para a maternidade – O que levar?

Lá pelo sétimo, oitavo mês de gravidez, as mamães começam a lavar as roupinhas do bebê e os médicos dizem que já é bom deixar uma malinha pronta, just in case…Esse fase é de-li-ci-o-sa!! Lavar as roupinhas, preparar tudo, por no varal e imaginar que em poucos dias um bebezinho vai recheá-las…rsrsrs…é muito gostoso! E para preparar a malinha? O que levar? Algumas maternidades disponibilizam listas nos seus próprios sites, mas será que tudo que está lá é útil mesmo?

Bem, muito vai depender da época do ano em que seu bebê vai nascer, mas tenha em mente que normalmente, dentro das maternidades, é frio, o ar condicionado está ligado todo o tempo. Então mesmo que seu baby nasça no calor, vale a pena levar roupinhas mais quentinhas.

Malinha para os bebês que nascerão no CALOR:

  • 1 roupa para “saída da maternidade”: deve ser confortável, mais quentinha (mas sem exageros) e bonita para estar nas fotos que serão guardadas para sempre. O ideal é que seja de algodão, suedine ou um tecido mais leve.
  • Body de manga curta: 3 tamanho RN
  • Body de manga comprida: 3 tamanho RN
  • Calça tipo “mijão” ou culote com ou sem pé: 6 tamanho RN (prefira as com pés)
  • Macacão inteiro de manga comprida: 5 tamanho RN  (é bom ter alguns mais fininhos, algodão ou suedine, e um ou dois mais grossos, de plush, por exemplo, pois nosso clima anda doido demais!). Ah, os de abotoamento frontal são beeeem mais práticos, quando a gente não tem prática…rsrsrs
  • Casaquinho de algodão, malha ou suedine: 2 tamanho P (como o casaquinho vai por cima do macacão ou do body, é ideal que seja um pouquinho maior, ao invés de RN, opte pelo P)
  • Manta: 1 está ok, mas 2 é mais garantido. Pode cair no chão, sujar…
  • Meia: 6 pares. Não é toda mamãe que coloca meia nos bebês recém nascidos, mas se você achar que a temperatura na maternidade está muito fria, coloque um par de meias sobre o culote e por cima coloque o macacão.
  • Fralda de pano para usos variados: Pelo menos 4
  • Paninho de boca: Pelo menos 6
  • Estojo com pente e escova de cabelo para recém nascido.

Malinha para os bebês que nascerão no FRIO:

  • 1 roupa para “saída da maternidade” : deve ser confortável, quentinha e bonita para estar nas fotos que serão guardadas para sempre. Muitas mamães preferem as saídas de maternidade em tricot quando os bebês nascem no frio.
  • Body de manga comprida: 6 tamanho RN
  • Calça tipo “mijão” ou culote com ou sem pé: 6 tamanho RN (prefira os com pés)
  • Macacão inteiro de manga comprida: 5 tamanho RN  ( leve os mais quentinhos, de plush ou soft, mas leve também algum mais fresquinho, como algodão ou suedine, pois, como dito acima, nosso clima anda doido…rsrs ). Não esqueça: prefira os de abotoamento frontal…
  • Casaquinho algodão, malha ou suedine: 2 tamanho P (como o casaquinho vai por cima do macacão ou do body, é ideal que seja um pouquinho maior, ao invés de RN, opte pelo P)
  • Meia: 6 pares
  • Manta de algodão ou tricot: 1 está ok, mas 2 é mais garantido. Pode cair no chão, sujar…
  • Fralda de pano para usos variados: Pelo menos 4
  • Paninho de boca: Pelo menos 6
  • Touca de suedine ou plush: 1 é suficiente. Só para o dia da alta hospitalar, caso esteja muito frio.
  • Estojo com pente e escova de cabelo para recém nascido.

E um item que é sucesso total e que muitas mamães só se dão conta que precisam muito perto do bebê nascer: os saquinhos para maternidade, onde a mamãe vai selecionar as roupinhas que quer que as enfermeiras coloquem no bebê. Os nossos saquinhos de maternidade são confeccionados em tule, vem em um kit com 3 e cada um vem com uma tag para escrever o nome da mamãe, do bebê e o número do quarto.

Na nossa loja, a Cabidinho Store, as mamães podem encontrar muitos desses itens. Temos como parceiros marcas super bacanas que desenvolvem peças incríveis para os primeiros dias dos bebês, como a Piu Piu, Tippo e Zig Mundi. Temos kits com 2 bodies e 2 culotes com pé da Piu Piu, assim como macacões para todas as estações do ano. A Piu Piu também confecciona toucas, casaquinhos e mantas para os dias mais frios. A Zig Mundi também faz coisas lindas como bodies e macacões. Visitem o nosso site: http://www.cabidinho.com.br

 

 

Coração de grávida precisa de muuuuuito carinho..

Bem, todo mundo sabe que a gravidez é um momento de muita sensibilidade na vida da mulher. Os sentimentos se misturam, os hormônios vão à loucura e a pobre grávida sofre, muitas vezes sem nem mesmo saber o porquê, já que esse é, muitas vezes, o momento mais esperado de uma vida inteira!! O que sentimos:

  • medo – de tudo! Do parto, se o bebê vai nascer saudável, de não sabermos cuidar de um ser daquele tamanhinho, de não dar conta de todos as tarefas (principalmente quando tem irmãos na parada), do tamanho da responsabilidade que está por vir, de não conseguir amamentar, da volta ao mercado de trabalho (voltar ou não?), de engordar muito (sim, esse medinho passa sim pela nossa cabeça), de como vai ser sua vida com o marido/pai do bebê depois do nascimento, da situação financeira, enfim, o medo faz parte dessa fase.
  • ansiedade – primeiro para saber se está grávida ou não (testes de farmácia são confiáveis? melhor fazer logo o de sangue?), depois para saber o sexo, aí em todos os ultras ficamos mega ansiosas para saber se está tudo bem com o baby e finalmente aquele 9º mês que dura mais do que a gravidez inteira…não passa!!
  • felicidade sem fim
  • tristeza sem fim
  • choradeira por nada e muitas vezes por TUDO!!!
  • fome que não acaba nunca
  • sono que não acaba nunca
  • fora todos os desconfortos padrão – enjoos, náuseas, cansaço, inchaço, constipação, oscilação de humor, falta de posição para dormir, falta de ar, e outros (cada mulher sente coisas diferentes em momentos diferentes).

 

 

homem-gravidez

 

Essa gangorra emocional é absolutamente normal e esperada até!! Parte por conta do momento mesmo…é único, é especial, é uma nova vida que vai chegar!! Só isso já é MUITA coisa!! Mas além disso, há também a influência dos nossos queridos estrogênio e progesterona (a dupla dinâmica), e quanto à eles não podemos fazer nada…nada mesmo!!!

Como resolver e ter uma gravidez tranquila?

Informe-se!! Sobre tudo o que te causa medo e ansiedade. Participe de um curso para gestantes, leia bastante sobre parto e gravidez e principalmente tenha um obstetra que você confie cegamente!! Conte tudo e pergunte tudo para ele…não tenha vergonha, fale sobre os medos, inseguranças e mais do que tudo CONFIE nas respostas dele! Eu digo isso por experiência própria e agradeço por ter tido uma pessoa tão humana e competente ao meu lado nos meus três partos!! Minha obstetra fez toda a diferença no modo como levei minhas “gravidezes”…rsrsrs….e eu a AMO de paixão por ela ter ajudado a trazer meus 3 anjinhos à esse mundo!

Converse! Converse com suas amigas que já são mães, com sua mãe, tia, prima, avó, irmã mais velha…ouça as experiências, as histórias…é sempre bom bater papo com quem a gente gosta não é? Converse com seu companheiro, fale dos seus medos de coração aberto, peça compreensão e paciência..rsrsrs..

Peça ajuda! Se for o caso, procure um psicólogo ou psicanalista para ajudá-la nesse momento, por que não? Terapia é excelente em qualquer momento da vida, nesse então nem se fale!

Pratique atividades físicas! Sob orientação do seu médico, pratique o que ele lhe indicar…natação, caminhada, yoga, hidroginástica….a sensação de bem estar é incrível e te fará muito bem!!

E lembre-se: quanto mais tranquila e equilibrada você estiver, melhor seu bebê vai se sentir também!!

Se você quiser conhecer nossa loja, ela está recheada de fofuras para bebês, desde os recém nascidos até 2 anos! Acesse: http://www.cabidinho.com.br

 

O ácido fólico e a gravidez

Quando planejamos a gravidez e vamos ao ginecologista para pegar aquela lista interminável de exames para fazer…rsrsr…o que normalmente o médico recomenda ? (Se não recomenda, deveria..) Ácido Fólico! E você sabe por quê?

barrigão

Porque o ácido fólico é fundamental para o desenvolvimento do cérebro e para a formação da coluna do bebê, o que acontece nas 4 primeiras semanas de gestação. O uso do ácido fólico evita defeitos do tubo neural, como falha no desenvolvimento do cérebro e da medula espinhal. O ideal mesmo é que a gestante comece a usar o ácido fólico antes mesmo de engravidar. Isso mesmo!! O recomendado é que pelo menos 3 meses antes de engravidar, a futura gestante já comece a usar e continue usando no primeiro trimestre da gravidez.

Alguns alimentos, como vegetais de folhas verde-escuras, frutas e grãos (feijões/ lentilha), têm essa vitamina, mas a quantidade não é suficiente, por isso o suplemento é tão importante.

E quando a gravidez não é planejada? Aí amiga, não tem o que fazer mesmo…é começar a tomar o quanto antes! Alguns médicos sugerem que todas as mulheres em idade fértil tomem 400 mcg (microgramas) todos os dias. Mas é claro, vale conversar com seu médico sobre o que ele acha dessa orientação. Aliás durante a gestação NENHUM remédio, nem mesmo vitaminas, devem ser tomados sem a orientação de seu médico.