Dicas – Uso da chupeta

Dicas – Uso da chupeta

A sucção é um reflexo do bebê desde o útero materno e pode ser observado através de ultrassonografias, que mostram alguns bebês chupando o dedinho. Esse reflexo é vital para o crescimento e desenvolvimento psíquico do bebê.

A criança, especialmente em seu primeiro ano de vida, tem uma necessidade fisiológica de sucção. Além da amamentação, que garante a sua sobrevivência, a sucção também promove a liberação de endorfina, um hormônio que produz um efeito de modulação da dor, do humor e da ansiedade, provocando uma sensação de prazer e bem-estar ao bebê.

A amamentação é suficiente para satisfazer o desejo básico de sucção do bebê, desde que ele esteja mamando exclusivamente no peito e a mãe o ofereça sempre que o bebê quiser. É importante enfatizar que a sucção do bebê ao mamar no seio materno é completamente diferente do sugar o bico de uma mamadeira ou chupeta. Mamar no peito é muito importante para o desenvolvimento da mandíbula e demais ossos da face, dos músculos da mastigação, da oclusão dentária e da respiração de forma adequada.

O uso da chupeta vem sendo passado de geração a geração, constituindo-se num frequente hábito cultural em nosso meio e, por seu preço reduzido, é bastante acessível a toda população.

Destacam-se como possíveis “prós” de sua utilização:

1 – trata-se de um calmante imediato do choro;
2 – alguns estudos evidenciaram possível efeito protetor contra morte súbita, desde que seja introduzida após a terceira semana de vida ou com a amamentação já estabelecida e utilizada apenas durante o sono (recomendação oficial da Academia Americana de Pediatria – AAP).

Por outro lado, temos muitos “contras” para comentar sobre a utilização da chupeta.

1 – Inúmeros estudos mostram que a chupeta está sempre associada com um tempo menor de duração do Aleitamento Materno e que a mesma acaba por ser um indicador de dificuldades da amamentação. Este fato acabou sendo decisivo para que a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) optassem como recomendação oficial de não utilizar bicos e chupetas desde o nascimento, pois o tempo de duração do aleitamento materno influi diretamente na saúde do bebê e da mãe, quanto mais tempo amamentar, mais saúde para ambos. Esta orientação é compartilhada pelo Ministério da Saúde do Brasil que desde 1990 optou pela implantação da Iniciativa Hospital Amigo da Criança, que tem como regra (nono passo – o sucesso da amamentação) a não utilização de bicos, mamadeiras e chupetas em alojamento conjunto.

2 – Com relação a acalmar, temos uma linha de psicólogos que discordam desta forma de acalmar, pois temos inúmeras maneiras de acalmar um bebê (carinho, colo, cantar, amamentar, etc.) sem a necessidade de utilização de um artifício que traz malefícios para a saúde do bebê. Orientam ainda que quando uma criança começa a introduzir o dedo na boca, temos que dar uma função para as mãos, desta forma, entrega-se brinquedos adequados para a idade para que a distração seja direcionada em outro sentido. Claro que a criança poderá levar este brinquedo à boca (mordedores, por exemplo), mas isto não leva a vícios. Portanto não “vicia” em chupeta e nem no dedo.

3 – Outros estudos apresentam efeitos prejudiciais do uso da chupeta com relação à oclusão dentária, levando à deformação na arcada dentária e problemas na mastigação, além de atrasos na linguagem oral, problemas na fala e emocionais. O risco de má oclusão dentária em crianças que utilizam chupetas pode chegar a duas vezes em relação aos que não usam.

4 – Temos ainda prejuízos respiratórios importantes, levando a uma expiração prolongada, reduzindo a saturação de oxigênio e a frequência respiratória. A respiração acaba ficando mais frequente pela boca (respiração oral), o que piora a elevação do palato (céu da boca), diminuindo o espaço aéreo dos seios da face e provocando desvio do septo nasal. A respiração oral leva à diminuição da produção da saliva, que pode aumentar o risco de cáries. Como a respiração nasal tem a função de aquecer, umidificar e purificar o ar inalado e isto não ocorre de forma adequada na respiração oral, temos maiores chances de irritações da orofaringe, laringe e pulmões, que passam a receber um ar frio, seco e não filtrado adequadamente.

5 – Outras consequências da respiração oral são: as infecções de ouvido, rinites e amigdalites.

6 – O uso de chupetas também está associado a maior chance de candidíase oral (sapinho) e verminoses, já que é quase impossível manter uma chupeta com higiene adequada.

7 – Na confecção de bicos e chupetas temos o uso de materiais possivelmente carcinogênicos (N-nitrosaminas) que ainda carecem de estudos mais aprofundados.

8 – Com relação à morte súbita, a mesma é definida como uma morte inesperada de crianças menores de 1 ano de idade, com pico entre 2 e 3 meses, que permanece inexplicada após extensa investigação, incluindo história clínica, necropsia completa e revisão do local do óbito. Portanto é uma situação em que até o momento não sabemos qual é a verdadeira causa. Existem muitas críticas sobre as metodologias utilizadas nestes estudos, o que enfraqueceria em muito e tornaria no mínimo precoce a argumentação de que a chupeta seria um possível protetor da morte súbita. Apesar de ser uma indicação oficial da AAP, esta opinião não é compartilhada por importantes órgãos como o MS (Ministério da Saúde do Brasil – área técnica da criança e do aleitamento materno), OMS, UNICEF, WABA (ONG internacional que promove a semana mundial da amamentação) e IBFAN (Rede Mundial que luta pelas leis que normatizam a propaganda de alimentos que podem prejudicar a instalação e manutenção do AM), que entendem ser necessária a realização de mais estudos sobre este assunto controverso.

9 – Por fim, vale destacar que um estudo de revisão, multidisciplinar, publicado no Jornal de Pediatria em 2009, buscou na literatura prós e contras o uso de chupeta e chegou à conclusão final de que foram encontrados mais efeitos deletérios do que benéficos.
Desta forma, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que os pais tenham claramente esta visão de “prós e contras” do uso da chupeta, para que, junto ao seu pediatra, possam tomar uma decisão informada quanto a oferecê-la, ou não, aos seus bebês.

 

Fonte: http://www.pediatriaparafamilias.com.br/website/paginas/materias_gerais/materias_gerais.php?id=77&content=detalhe

Anúncios

Regatas de Amamentação – tudo o que uma mãe precisa!

As mamães já sabem e as de primeira viagem ainda vão descobrir o quanto é difícil encontrar roupas para amamentação.

Não tendo muita escolha, nós acabamos dando um jeitinho com as nossas mesmo, levantando a blusa para amamentar. E nessa hora vem o constrangimento de mostrar a barriguinha que ainda está voltando ao normal. Uma opção é recorrer as camisas, mas muitas vezes o botão insiste em abrir…Então, surgiram as Regatas de Amamentação!

  Me lembro que na minha época de amamentar os meus filhos, não haviam opções bacanas e bonitas…ou se existiam, provavelmente eram caríssimas!! O que fazíamos era dar um jeito com qualquer regata mesmo,por baixo da blusa e na hora de amamentar, eu tinha que puxar a regata para baixo, alargando toda, afinal, ela não foi feita para isso!! rsrsrsr….

Mas agora, com as Regatas de Amamentação que temos disponível na Cabidinho Store esses problemas estão resolvidos!

As Regatas de Amamentação podem ser usadas por baixo de blusas, como uma segunda pele resolvendo o problema da barriguinha. Mas sua praticidade não para por aí: por não precisar usar sutiã de amamentação com ela, é uma ótima opção para dormir. Uma peça tão linda como essa não pode ficar só escondida debaixo de blusas ou em casa: ela é para sair também! As Regatas de Amamentação e um jeans já são suficientes para montar um look moderno, lindo e confortável! Quer incrementar o visual? Coloque um blaser, um colete ou uma jaqueta por cima e dê um show de estilo com o baby!

Nossas Regatas de Amamentação são próprias para isso! Temos dois modelos: a Regata de Amamentação Tule Poá, que possui decote trespassado, ou seja, a mamãe pode puxar para amamentar que ela já tem um decote especialmente desenvolvido para isso, sem alargar ou esticar demais a regata. E o outro modelo, é a Regata de Amamentação Renda, que possui o fecho como nos soutiens de amamentação, basta abrir, amamentar e depois fechar de novo. São lindas e muito, muito práticas!!

Esse é o link aonde você vai encontrar os modelos das Regatas de Amamentação que estão disponíveis na Cabidinho. Lá também tem a tabela de tamanhos e como fazer para medir e não errar no tamanho. É só clicar: https://www.cabidinho.com.br/regatas-amamentacao/

E você já sabe, qualquer dúvida basta entrar em contato pelo email: contato@cabidinho.com.br,  que teremos o maior prazer em te atender!

 

5 COISAS QUE VOCÊ DISSE (OU PENSOU) QUE NÃO FARIA COM SEUS FILHOS….ANTES DE SER MÃE!

Como diz uma amiga minha, ser mãe é cuspir para cima e cair na testa…sempre!! Ou quase sempre! Quem nunca viu uma cena, de mãe com filho, e pensou…”nossa, quando eu tiver meus filhos NUNCA vou fazer isso”? Ou,”que absurdo, como pode”? Pois é amiga….nós, enquanto não mães, cuspimos para cima algumas vezes sim….Caiu na sua testa? Na minha caiu….

1- Deixá-los fazer as refeições vendo TV, assistindo vídeo no I-pad, ou qualquer outra parafernalha eletrônica. Sabemos que não é recomendável, muito menos saudável. O momento da refeição é um momento muito importante, principalmente as primeiras refeições, os primeiros alimentos a serem experimentados. O bebê, ou a criança, está conhecendo novos sabores, apurando seu paladar, conhecendo a consistência doa alimentos, iniciando o processo da mastigação, tão importante no desenvolvimento dos ossos da face e de tantos outros processos, como a fala correta, por exemplo. Além de ser um dos únicos momentos em que é possível juntar a família e ,ao longo da refeição, conversar sobre os assuntos do dia a dia, ficar mais juntinho, trocar ideias….Mas quem nunca lançou mão de um recurso tecnológico para fazer a criança comer tudo (mesmo que uma vez ou outra)? É fácil: ela fica tão distraída com o que quer que seja (atualmente tem sido a Peppa Pig), que você vai enfiando colherada atrás de colherada na boca do pequeno até que ele “raspe” o prato!! Viva!! A mamãe ficou feliz!!!

2 – Deixá-los dormir na sua cama. Nunca. Never. Jamé. Pois é amiga, mas aí chega um dia, ou melhor, uma noite. Fria. Muito, muito, muito fria. E você já levantou umas três ou quatro vezes e já foi até o quarto do bebê para acudi-lo assim que começou o chororô. Ele chora, você levanta (no friiiiiioooo), vai até o quartinho dele, pega, amamenta ou dá a mamadeira,troca (se for preciso), nina, ele dorme. Ufa! Mas acontece de novo (o choro). E de novo. E sua cama está tão quentinha….Até que finalmente,vencida pelo cansaço, você pega o pimpolho, abraça bem gostosinho e põe juntinho de você, na sua cama….Mas cuidado! Esses seres pequenos são bem espertinhos….só faça isso de vez em quando…rsrsrs.

criança dormindo com os pais

3 – Dar chupeta. Eu, particularmente, nunca tive esse grilo com chupetas, mas me lembro que cheguei a pensar (antes do meu primeiro filho,claro) “ah, não vou oferecer não, vou tentar acostumá-lo sem”. Oi????? Hahahahaha…coisas de mãe de primeira viagem mesmo. Depois de um tempo queria descobrir o nome do cara que inventou a chupeta para mandar para o Papa analisar um pedido de canonização! Sim, esse cara deveria virar Santo!!! Melhor invenção do século, do milênio, da vida!!! Depois a gente se preocupa em como tirar….rsrsrs. Curiosamente, meus outros dois filhos NUNCA pegaram a chupeta.…e olha que eu OFERECI!!! Sim! Fiz vária tentativas, tentei várias marcas, bicos diferentes, mas nada….foi difícil. Porque, querendo ou não, a chupeta acalma,dá um aconchego, mesmo que seja só por um tempinho. Mas te dá a chance de falar no telefone, de ouvir uma notícia na tv, conversar com seu marido/amiga/irmã/irmão, ouvir o silêncio….ah o silêncio…falaremos sobre a importância do silêncio em outro post…rsrs.

4 – Complementar a amamentação com leite artificial. Acho que durante a gestação, a maioria das futuras mães sonha em poder ter rios e rios de leite, sonha com um bebê que mame,mame,mame bastante e depois durma (umas quatro horas, se possível), e durante esse período ela vai descansar, repor as energias e produzir mais uns 10 litros de leite. Aí você acorda e vê que na vida real as coisas são um pouco diferentes. Apoiamos incondicionalmente o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses. Mas, cada caso é um caso. Tem mamães que vivem esse sonho que eu descrevi logo acima. Tem outras que tem sérios problemas durante a amamentação( físicos, pessoais e hormonais) que afetam a produção de leite. Tem bebês que são insaciáveis, que mamam MUITO. Outros mamam só um pouquinho e já ficam satisfeitos. O fato é que às vezes é necessário o complemento com o leite artificial antes dos 6 meses e ok!! E acontece! E ok de novo!! Pelo bem da mamãe, pelo bem do bebê, de seu crescimento, de seu bem estar, de sua saúde. E é claro, sempre, sempre com a orientação do pediatra.

5 – Levar o pequenino para todos os lugares junto com você, tipo chaveirinho mesmo. Quando não era mãe, cansei de ver mamães com seus pimpolhos beeeeem pequeninos, às vezes recém nascidos, no supermercado, no banco, andando na rua debaixo do maior sol e eu pensava “que loucas, por que não deixam com alguém?” Porque às vezes não tem ninguém!! Hoje eu sei. Sempre que possível evitava e evito levar as crianças em lugares com aglomeração de pessoas, lugares aonde eles terão que ficar comigo esperando horas e horas, lugares que tenhamos que andar muito, mas às vezes não dá!! As outras pessoas (avós, tios,amigos) trabalham, tem seus compromissos, as ajudantes do lar faltam, enfim,mil situações!! E lá vamos nós, com nossos chaveirinhos a tira colo.

Essas são apenas algumas situações…falando com amigas, lembramos de outras:                     deixar comer bolacha/salgadinho antes das refeições, dar comida industrializada,                       oferecer açúcar antes de 1 ano, deixar dormir sem escovar os dentes/tomar banho,                     deixar ficar no sol depois das 10 e antes das 16, pedir para a vizinha dar uma                               olhadinha rápida enquanto você vai à manicure/banco/sacolão…rsrsrs

Mas tudo dentro da normalidade, afinal amamos nossos pequenos mais do que                      tudo, certo meninas??