10 dicas de como o futuro papai pode colaborar durante a gestação

É super normal que no começo da gestação os futuros papais se sintam deslocados e meio à parte em tudo o que começa a envolver essa gestação. Seja nas conversas entre sua esposa e as amigas, seja nos termos médicos usados, nas tantas mudanças que vão começara acontecer, enfim, são muitos hormônios trabalhando enlouquecidamente!! Claro que cabe a futura mamãe trazer o pai para perto dela e do bebê sempre! Incluí-lo em todas as fases e estimulá-lo a participar de todos os momentos.

 

pai e filho

1. Seja paciente

Sua parceira está vivendo um período muito louco, alternando sentimentos de alegria e preocupação o tempo todo. Além disso, os hormônios da gravidez provocam mudanças de humor repentinas.

Diante de tanta variação, se ela sair da gargalhada para o choro em questão de minutos, tente ser paciente e lembrar que isso não dura para sempre.

2. Seja carinhoso

À medida que o corpo de sua parceira muda e os sintomas da gravidez se intensificam, é possível que ela se ache menos atraente. Cabe a você ajudá-la a se sentir tão amada e desejada quanto antes. Faça elogios, carinhoso, faça passeio à dois sempre que possível.  É muito gostoso curtir a gestação com o companheiro sendo COMPANHEIRO.

3. Seja interessado

Mostre interesse genuíno e vá às consultas e ultrassons do pré natal sempre que puder. Quanto mais você demonstrar que estão juntos nesta fase, mais tranquila ela vai se sentir. Esse acompanhamento próximo da gestação também ajuda você a criar elos com o bebê.

4. Abandone os maus hábitos

Para que o bebê seja saudável, é recomendável que sua mulher tenha hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada, por exemplo. Se você fuma, esse é o melhor momento para abandonar o vício. Que tal uma caminhada pela manhã ou no final da tarde juntos? Além de um bom exercício físico (se liberado pelo médico), é mais um momento para o casal curtir juntos. Tudo ficará muito mais fácil para ela se você também embarcar nesse mesmo estilo de vida.

5. Colabore para que ela descanse

Nos primeiros meses de gravidez, sua parceira provavelmente vai se sentir cansada e sonolenta. Deixe-a dormir bastante sempre que possível. É normal, são os hormônios. Não é preguiça e muito menos corpo mole.

6. Seja um parceiro contra o enjoo

Novamente, são os hormônios trabalhando enlouquecidamente. Se você puder, prepare algo leve para que ela possa comer aos poucos e durante o dia. Se você estiver inspirado, faça um chá de menta com gengibre para que ela tome ao longo do dia. Ou prontifique-se para ir ao supermercado/sacolão comprar qualquer coisa que ela ache que vá diminuir a náusea.

7. Informe-se e converse

Esse não é o estilo masculino, mas se de vez em quando procure seus amigos para desabafar (principalmente os que já são pais). Veja como suas dúvidas e experiências são super comuns e muitos já passaram por isso. Leia, procure se informar sobre tudo o que e envolve esse momento.  Vale também conversar com o médico ginecologista/obstetra que a acompanha.

8. Pense em nomes para o bebê

Esse momento é uma delícia! Faça uma lista dos seus preferidos e ao longo da gestação, vá debatendo sobre eles com sua companheira…é divertido até!!

9. Participe das compras

A decoração do quartinho e a escolha do enxoval do bebê são tema de enorme interesse para a sua mulher, mesmo que pareçam menos importantes para você.

Envolva-se e procure curtir também essa temporada de compras. Aproveite a chance para vocês saírem e começarem a construir o mundo do bebê juntos. Você pode até se voluntariar para pesquisar por conta própria as alternativas (que são muitas) de tudo o que envolve esse novo mundo ( carrinhos de bebê, bebê conforto, banheira, etc…).

10. Organize as finanças e a rotina

Ter um filho é caro. Use o tempo antes de ele nascer para programar melhor, junto com sua mulher, o orçamento da casa e fazer ajustes no que for necessário. É bom já pensar também no futuro e em como poupar para que, um dia, vocês possam oferecer tudo o que sonham a seu filho.
Saber que as finanças da família estão sob controle trará bem mais segurança à sua parceira, algo super importante nesta fase.

Ajude-a a pensar em como será a rotina depois que o bebê nascer. Tem alguém para ajudar? Quantas vezes por semana essa pessoa virá na sua casa? E as refeições, quem pode preparar? Melhor fazer uma grande compra e estocar o que puder? Vale a pena chamar a mãe/sogra para passar uns dias com vocês? Terão babá? Pensando em tudo isso com antecedência, a ansiedade diminui.

 

E lembre-se que na nossa loja, temos MUITOS itens imprescindíveis para o enxoval do bebê! Desde saídas de maternidade, toalhas, mantas, bodies e culotes, enfim, há uma infinidade de peças que vocês poderão escolher para o bebê e melhor, no conforto de sua casa!! Nosso site é 100% seguro e entregamos para todo o Brasil! Acesse agora mesmo: www.cabidinho.com.br

Anúncios

1ª Festa junina dos pequenos: da expectativa à frustração

As primeiras datas comemorativas são sempre muito especiais, principalmente para os pais de primeira viagem, pois é inevitável criar uma expectativa em torno de algo que não conhecemos.

Quando os pequenos começam a frequentar a escolinha, as festinhas comemorativas começam a aparecer. Uma delas ( a mais deliciosa na minha opinião…rsrs) é a festa junina.  Então, a escola manda um comunicado com a data e horário da festa, os trajes, enfim, todas as informações necessárias e a família começa os preparativos.

E, durante essa preparação cria-se um expectativa enorme de que seu filho/filha vai arrasar, vai dançar, pular, cantar as musiquinhas, afinal, eles passaram um mês ensaiando!! E às vezes a realidade é muito diferente do que imaginamos.

Vamos pensar no lado das crianças: elas ensaiaram sim, mas com a professora e os amigos, pessoas com as quais ela já está acostumada. De repente ela se vê no meio de estranhos, de barulho, de muita gente e sim, ela pode recuar. Ela pode chorar, ficar irritada e se recusar a participar. E tudo isso é super normal, nós é que temos que entender. Apesar de estar em um ambiente (espaço) que ela já domina, aquelas pessoas e aquela música muito alta são estranhas para ela.

Outra coisa que às vezes acontece: a festinha é marcada em um horário diferente do horário da aula, em um horário em que a criança está acostumada a dormir, por exemplo. Claro que ela vai ficar irritada!! Cabe aos pais, nesses casos, mudar a rotina nesse dia para que ela durma antes (ou logo depois) da festa.

Eles são muito pequenos, ainda estão se acostumando com esse mundo, a primeira festa junina é uma novidade! Então, vamos com calma. Não podemos ficar bravos, nem nos estressar porque os pequenos não quiseram participar. E vale uma conversa com a família toda também (avós, tios, padrinhos, todos que estavam presentes). Nada de ficar falando “ah, mas o vovô queria tanto te ver dançar” ou ” a titia veio de tão longe pra te ver dançar”. Esse tipo de comentário pode deixar a criança mais triste ainda, porque ela sabe que deveria ter se apresentado mas não conseguiu.

Os pais devem se posicionar de uma maneira a acalmar os filhos e dizer que tudo bem. Se nesse ano não deu, vamos deixar para o próximo. Os pais devem transmitir segurança e a certeza de que nada mudou, que a criança está linda e que tudo bem se ela não se apresentou. Os pais são o porto seguro dos filhos, sempre.

Menos expectativa papais e mamães, assim se algo não sair como planejado, a frustração será bem menor. Isso vale para todas as primeiras festinhas!

Ah, uma dica muito legal! Na loja, temos disponível o “Kit Festa Junina Fácil”, para facilitar mesmo a vida das mamães. Ele foi criado para customizar uma roupa que os pequenos já tenham em casa. Clique nesse link e veja todas as informações : http://bit.ly/kitfestajuninacabidinhostore. Ou se preferir acesse: http://www.cabidinho.com.br

 

festa junina